Frase do dia...

quarta-feira, janeiro 27, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
"A melhor maneira de se ser feliz é contribuir para a felicidade dos outros." 
Confúcio

Oração da criança espírita...

quarta-feira, janeiro 27, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »

Frase do dia...

terça-feira, janeiro 26, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
"Sofremos demasiado pelo pouco que nos falta e alegramo-nos pouco pelo muito que temos..."  
William Shakespeare

PRECE DA CRIANÇA QUE AINDA NÃO NASCEU

terça-feira, janeiro 26, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »


Mãe querida!
Sustenta-me, agora, para que eu te sustente depois.
Não me expulses, nem me desprezes.
Venho ao encontro de tuas esperanças.
Junto de ti estou na condição de anseio de seu anseio e de alma de tua alma.
Hoje, sou apenas flor, sonho, pensamento...
Amanhã, serei a tua realização.
Resguarda-me, com amor, para que a confiança não me abandone.
Protege-me contra o desequilíbrio.
Cultiva as idéias positivas do bem, para que não me falte segurança contra o mal.
Guarda-me, no colo, em nome de Deus, para que a luz da fé em Deus se mantenha acesa dentro de mim.
Tenho tanta necessidade de ti, quanto a semente precisa da terra para germinar e viver.
Dá-me a tua bondade e dar-te-ei a mim mesmo.
De ti depende que eu possa, estar manhã, entre os homens, cooperar na construção do Mundo Melhor.

Frase do dia...

sábado, janeiro 23, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
"No momento, nosso mundo de humanos é baseado no sofrimento e na destruição de milhões de não-humanos. Aperceber-se disso e fazer algo para mudar essa situação por meios pessoais e públicos, requer uma mudança de percepção, equivalente a uma conversão religiosa. Nada poderá jamais ser visto da mesma maneira, pois uma vez reconhecido o terror e a dor de outras espécies, você irá, a menos que resista à conversão, ter consciência das permutações de sofrimento interminável, em que se apóia a nossa sociedade." 
Arthur Conan Doyle

Frase do dia...

sexta-feira, janeiro 22, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
"Eu permito a todos serem como quiserem, e a mim como devo ser." 
Chico Xavier

Mensagem de Conforto

sexta-feira, janeiro 22, 2010 Posted In , , Edit This 0 Comments »

       Quando você se observar , à beira do desânimo , acelere o passo para frente , proibindo-se parar.
        Ore , pedindo a Deus mais luz para vencer as sombras.
        Faça algo de bom , além do cansaço em que se veja.
        Leia uma página edificante, que lhe auxilie o raciocínio na mudança construtiva de idéias.
        Tente contato de pessoas, cuja conversação lhe melhore o clima espiritual.
        Procure um ambiente, no qual lhe seja possível ouvir palavras e instruções que lhe enobreçam os pensamentos.
        Preste um favor, especialmente aquele favor que você esteja adiando.
       Visite um enfermo, buscando reconforto naqueles que atravessam dificuldades maiores que as suas.
        Atenda às tarefas imediatas que esperam por você e que lhe impeçam qualquer demora nas nuvens do desalento.
        Guarde a convicção de que todos estamos caminhando para adiante , através de problemas e lutas, na aquisição de experiência, e de que a vida concorda com as pausas de refazimento das nossas forças, mas não se acomoda com a inércia em momento algum. 

André Luiz 
extraído do livro "Busca e Acharás"- Francisco Cândido Xavier

Frase do dia...

quinta-feira, janeiro 21, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
"Só podemos vencer o adversário com o amor, nunca com o ódio." 
Gandhi

Oração que eu esqueci...

quinta-feira, janeiro 21, 2010 Posted In , , Edit This 0 Comments »

SENHOR,
PROTEJA AS NOSSAS DÚVIDAS, PORQUE A DÚVIDA É UMA MANEIRA DE REZAR. É ELA QUE NOS FAZ CRESCER, PORQUE NOS OBRIGA A OLHAR SEM MEDO PARA AS MUITAS RESPOSTAS DE UMA MESMA PERGUNTA.

E PARA QUE ISSO SEJA POSSÍVEL, SENHOR, PROTEJA AS NOSSAS DECISÕES, PORQUE A DECISÃO É UMA MANEIRA DE REZAR. DAI-NOS CORAGEM PARA, DEPOIS DA DÚVIDA SERMOS CAPAZES DE ESCOLHER ENTRE UM CAMINHO E OUTRO.

QUE O NOSSO SIM SEJA SEMPRE UM SIM, E QUE NOSSO NÃO SEJA SEMPRE UM NÃO.

QUE UMA VEZ ESCOLHIDO O CAMINHO, JAMAIS OLHEMOS PARA TRÁS, NEM DEIXEMOS QUE NOSSA ALMA SEJA CORROÍDA PELO REMORSO.

QUE POSSAMOS, ATRAVÉS DO TRABALHO E DA AÇÃO, COMPARTILHAR UM POUCO DO AMOR QUE RECEBEMOS.

E PARA QUE TUDO ISSO SEJA POSSÍVEL, SENHOR DAI-NOS SEMPRE ENTUSIASMO, PORQUE O ENTUSIASMO É QUE NOS LIGA AOS CÉUS E À TERRA, AOS HOMENS E ÀS CRIANÇAS, E NOS DIZ QUE TUDO É POSSÍVEL, DESDE QUE ESTEJAMOS TOTALMENTE COMPROMETIDOS COM O QUE FAZEMOS.

E PARA QUE ISTO SEJA POSSÍVEL, SENHOR ....PROTEJA-NOS, PORQUE A VIDA É A ÚNICA MANEIRA QUE TEMOS PARA MANIFESTAR O TEU MILAGRE.
E ISTO SÓ É POSSÍVEL SE TIVERMOS "AMOR".

PORTANTO, NUNCA NOS DEIXE EM SOLIDÃO.

DAI-NOS SEMPRE A TUA COMPANHIA, E A COMPANHIA DE HOMENS E MULHERES QUE TÊM DÚVIDAS, AGEM, SONHAM, SE ENTUSIASMAM, E VIVEM COMO SE CADA DIA FOSSE TOTALMENTE DEDICADO À TUA GLÓRIA. AMÉM


Paulo Coelho

Menos e Mais

quarta-feira, janeiro 20, 2010 Posted In Edit This 0 Comments »
*Quanto menos trabalho, mais preguiça.
*Quanto menos esforço, mais estagnação.
*Quanto menos direito, mais insegurança.
*Quanto menos serviços, mais penúria.
*Quanto menos fé, mais desconfiança.
*Quanto menos caridade, mais aspereza.
*Quanto menos entendimento, mais perturbação.
*Quanto menos bondade, mais intolerância.
*Quanto menos diligência, mais necessidade.
*Quanto menos simpatia, mais obstáculos.
*Quanto mais fizeres pelos outros, mais receberás do próximo em teu benefício.
*Quanto mais auxiliares, mais serás auxiliado.
*Quanto mais aprenderes, mais saberás.
*Quanto mais te aplicares ao bem, mais o bem te glorificará o caminho.
*Quanto mais te consagrares ao próprio dever, mais respeito e mais nobreza te coroarão.
*Quanto mais te dedicares ao plantio da fé pela compreensão de nossa insignificância, à frente do Senhor, mais a fé brilhará em tua fronte.
*Quanto mais sacrifício puderes suportar, mais alta ser-te-á a própria sublimação.
*Quanto mais te humilhares, buscando a posição do fiel servidor da Divina Bondade, mais engrandecido te farás diante da lei.
*Quanto mais suportares as faltas alheias, usando a paciência e a afabilidade, mais amor conquistarás naqueles que te observam e seguem.
*Quanto mais souberes perder nas ilusões da Terra, rendendo culto diário à reta consciência, mais lucrarás na imortalidade vitoriosa.
*Recordemos o ensinamento do Cristo "Ao que mais tiver, mais lhe será acrescentado".
*E, aumentando a nossa boa vontade no trabalho que o Senhor nos concede para as horas de cada dia, estejamos convictos de que mais seguramente avançaremos no rumo de nossa própria libertação.

É preciso saber esperar...

quarta-feira, janeiro 20, 2010 Posted In Edit This 0 Comments »
É preciso saber esperar...! Principalmente quando as coisas estão mais difíceis, quando parecem não ter mais soluções. Pois muitas vezes a dor pela espera é necessária para o nosso crescimento.
A vida é como um bumerangue. Tudo o que fazemos terá sempre retorno. Por isso é sempre importante praticarmos o bem, fazermos boas coisas.
Quão maior for a dor, maior será o alívio de superá-la, e sentir o gosto da vitória. Não existe uma só folha que caia que não seja da vontade de Deus.
Sejamos fortes em todos os momentos. Principalmente nos mais difíceis..Pois só assim conheceremos a nossa própria força, só assim trabalharemos para o nosso próprio crescimento.

É preciso saber esperar! Com paciência! Com fé no coração!
Com a certeza. De que iremos vencer. Pois somos filhos do criador.
E um Pai jamais abandona seus filhos!

Frase do dia...

quarta-feira, janeiro 20, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
"Quem dá não deve se lembrar, mas quem recebe nunca deve se esquecer." 

Obs.: Provérbio hindu.

Faça Hoje, Não Amanhã!

quarta-feira, janeiro 20, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
Diz o preguiçoso: "Amanhã farei."
Exclama o fraco: "Amanhã terei forças."
Assevera o delinqüente: "Amanhã regenero-me."
É imperioso reconhecer, porém, que a criatura,
adiando o esforço pessoal, não alcançou, ainda,
a noção real do tempo. Quem não aproveita
a bênção do dia vive distante da glória do século.

A alma sem coragem de avançar cem passos
não caminhará vinte mil.
O lavrador que perde a hora de semear
não consegue prever as conseqüências da procrastinação
do serviço a que se devota, porque,
entre uma hora e outra,
podem surgir impedimentos e lutas de indefinível duração.

Muita gente aguarda a morte para entrar numa boa vida.
Contudo a lei é clara quanto à destinação de cada um de nós.
Alcançaremos sempre os resultados a que nos propomos.

Se todas as aves possuem asas, nem todas
se ajustam à mesma tarefa nem planam no mesmo nível.
A andorinha voa na direção do clima primaveril,
mas o corvo, de modo geral, se consagra,
em qualquer tempo, aos detritos do chão.
Aquilo que o homem procura agora surpreenderá amanhã,
à frente dos olhos e em torno do coração.

Cuida, pois, de fazer, sem delonga,
quanto deve ser feito em benefício de tua própria felicidade,
porque o Amanhã será muito agradável
e benéfico somente para aquele que trabalha no bem,
que cresce no ideal superior
e que aperfeiçoa nas abençoadas horas de Hoje.


Fonte: Emmanuel psicografada por Chico Xavier

Vida...

terça-feira, janeiro 19, 2010 Posted In , , , Edit This 0 Comments »

Vida
É o amor existencial.
Razão
É o amor que pondera.
Estudo
É o amor que analisa.
Ciência
É o amor que investiga.
Filosofia
É o amor que pensa.
Religião
É o amor que busca a Deus.
Verdade
É o amor que eterniza.
Ideal
É o amor que se eleva.

É o amor que transcende.
Esperança
É o amor que sonha.
Caridade
É o amor que auxilia.
Fraternidade
É o amor que se expande.
Sacrifício
É o amor que se esforça.
Renúncia
É o amor que depura.
Simpatia
É o amor que sorri.
Trabalho
É o amor que constrói.
Indiferença
É o amor que se esconde.
Desespero
É o amor que se desgoverna.
Paixão
É o amor que se desequilibra.
Ciúme
É o amor que se desvaira.
Orgulho
É o amor que enlouquece.
Sensualismo
É o amor que se envenena.
Finalmente, o ódio, que julgas ser a antítese do amor, não é senão o próprio amor que adoeceu gravemente.


Francisco Cândido Xavier

Você mesmo

terça-feira, janeiro 19, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
Lembre-se de que você mesmo é o melhor secretário de sua tarefa, o mais eficiente propagandista de seus ideais, a mais clara demonstração de seus princípios, o mais alto padrão do ensino superior que seu espírito abraça e a mensagem viva das elevadas noções que você transmite aos outros. Não se esqueça, igualmente, de que o maior inimigo de suas realizações mais nobres, a completa ou incompleta negação do idealismo sublime que você apregoa, a nota discordante da sinfonia do bem que pretende executar, o arquiteto de suas aflições e o destruidor de suas oportunidades de elevação - é você mesmo.
Francisco Cândido Xavier

Frase do dia...

terça-feira, janeiro 19, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
"A arte de escutar é como uma luz que dissipa a escuridão da ignorância."
 Dalai Lama 

Prece do Coração

domingo, janeiro 17, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »


Deus, guia-me por entre as trevas.
Ilumina meu caminho.
Dá-me forças para caminhar pelo estreito caminho da salvação.
Orienta-me para não me julgar nem pior nem melhor que nínguem.
Que nenhuma injustiça me faça injusto.
Que as gratidões não me tornem ingrato.
Que nenhuma maldade que eu venha receber me faça mal.
Que eu possa, meu Deus, preferir receber todas as injustiças e maldades a fazer uma só.
Ajuda-me a servir, mesmo nos pequenos atos, e auxilia-me a vencer o egoísmo de querer ser servido.
Ó meu Deus! que seja feliz servindo com amor, sem, contudo, esquecer de fazer a felicidade de outros.
Faze de minha vida um luminoso reflexo de sua luz !
Obrigado meu Deus !

( Do livro Mistério do sobrado- Antonio carlos)

Frase do dia...

domingo, janeiro 17, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
"Enquanto estiver vivo, sinta-se vivo. Se sentir saudades do que fazia, volte a fazê-lo. Não viva de fotografias amareladas... Continue, quando todos esperam que desistas. Não deixe que enferruje o ferro que existe em você. Faça com que em vez de pena, tenham respeito por você. Quando não conseguir correr através dos anos, trote. Quando não conseguir trotar, caminhe. Quando não conseguir caminhar, use uma bengala. Mas nunca se detenha"
[ Madre Teresa de Calcutá ]

Frase do dia...

sábado, janeiro 16, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
"Não há fracasso quando não se deixa de tentar."

Os portões de chegada

sexta-feira, janeiro 15, 2010 Posted In , , Edit This 0 Comments »

Cada abraço daqueles guarda uma história diferente...

Cada reencontro daqueles revela um outro mundo, uma outra vida, diversa da nossa, da sua...

Se você nunca teve a oportunidade de observar, por mais de cinco segundos, todas aquelas pessoas - desconhecidos numa multidão - esperando seus amigos, seus familiares, seus amores, não tenha medo de perceber da próxima vez, a magia de um momento, de um lugar.

Falamos dos portões de chegada de um aeroporto, um desses lugares do Mundo onde podemos notar claramente a presença grandiosa do amor.

Invisível, quase imperceptível, ali ele está com toda sua sublimidade.

Nas declarações silenciosas de um olhar tímido. No calor ameno de um abraço apertado. No breve constrangimento ao tentar encontrar palavras para explicá-lo.

Na oração de três segundos elevada ao Alto - agradecendo a Deus por ter cuidado de seu ente querido que retorna.

Richard Curtis, que assina a produção cinematográfica de nome Love actually - traduzida no Brasil como Simplesmente amor, traz essas cenas com uma visão muito poética e inspirada.

O autor oferece na primeira e última cenas do filme exatamente a contemplação dos portões de chegada de um aeroporto, e de seu belíssimo espetáculo representando a essência do amor.

Ouve-se um narrador nos primeiros segundos, confessando que toda vez que a vida se lhe mostrava triste, sem graça, cruel, ele se dirigia para o aeroporto para observar aqueles portões, e ali encontrava o amor por toda parte.

Seu coração alcançava uma paz, um alívio, em notar que o amor ainda existia, e que ainda havia esperança para o Mundo.

Isso tudo pode parecer um tanto poético demais para os mais práticos, é certo.

Assim, a melhor forma de compreender a situação proposta é a própria vivência.

Sugerimos que faça a experiência de, por alguns minutos, contemplar essas cenas por si mesmo, seja na espera de aviões ou outros meios de transporte coletivos.

Propomos que parta de uma posição mais analítica, de início, com algumas pitadas de curiosidade:

Que grau de parentesco possuem aquelas pessoas? - Há quanto tempo não se veem? - De onde chegam?

Ou, quem sabe, sobre outros: Que histórias têm para contar! - O que irão narrar por primeiro ao saírem dali? Sobre a família, sobre a viagem, sobre a espera em outro aeroporto?

Ao perceber lágrimas em alguns olhos, questione: De onde elas vêm? - Há quanto tempo não se encontram? - Que felicidade não existe dentro da alma naquele momento!

Por fim, reflita:

Por quanto tempo aquele instante irá ficar guardado na memória! O instante do reencontro...

Tudo isso poderá nos levar a uma analogia final, a uma nova questão: não seria a Terra um imenso aeroporto? Um lugar de chegadas e partidas que não param, constantes, inevitáveis?

Pensando nos portões de chegada na Terra, lembramos dos bebês, que abraçamos ao nascerem, com este mesmo amor daqueles que esperam num aeroporto por seus amados.

Choramos de alegria, contemplando a beleza de uma nova vida, e muitas vezes este choro é de gratidão pela oportunidade do reencontro.

É um antigo amor que, por vezes, volta ao nosso lar através da reencarnação.

Pensando agora nos portões de partida, inevitavelmente lembramos da morte, da despedida.

Mas este sentir poderá ser também feliz!

Como o sentimento que invade uma mãe ou um pai que dá adeus a um filho que logo embarcará em direção a outro país, a fim de fazer uma viagem de aprendizagem, de estudo, ou profissional.

Choram sim, de saudade, mas o sentimento que predomina no bom coração dos pais é a felicidade pela oportunidade que estão recebendo, pois têm consciência de que aquilo é o melhor para ele no momento.



* * *


Vivemos no aeroporto Terra.
Todos os dias milhares partem, milhares chegam.
Chegadas e partidas são inevitáveis.
O que podemos mudar é a forma de observá-las.


Redação do Momento Espírita com base no cap. Os portões de chegada,
do livro O que as águas não refletem, de Andrey Cechelero.
Disponível no CD Momento Espírita, v. 12,
e no livro Momento Espírita v. 6, ed. Fep.
Em 29.10.2009.

Frase do dia...

sexta-feira, janeiro 15, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
"A força da  verdade é infinita."

Frase do dia...

quinta-feira, janeiro 14, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
"Conhecer-se a si mesmo é conhecer o universo de Deus"

O Ódio e o Desprezo

quarta-feira, janeiro 13, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »

Amai-vos uns aos outros e sentireis felizes, tratai sobretudo de amar aquele que vos despreza e odeia.
Tendes Cristo como modelo, que deixou como exemplo a abnegação, Pai que é todo amor, missionário Dele, amou-o até dar o seu sangue e sua própria vida.
O sacrifício de amar os que os que vos desprezam, é penoso bem o sei, mas é justamente isso que vos torna melhores que eles.
Não deixem que o ódio e o desprezo tomem seu coração, procurem ajudar os que vos ofende, mesmo tendo de unirem-se ante eles, assim estarão sendo superiores.
Amar aquele que vos ama é fácil, o difícil é amar aqueles que vos despreza.
Porém, Deus existe e todo aquele que odeia, despreza e que é vingativo, terá de pagar nessa e noutra vida.
Não esqueçais que o amor, caridade, a bondade os aproxima de Deus e o ódio, a maldade, o rancor, os afasta.
Procurem ter o coração limpo, brinquem, brinquem bastante, pois brincar é saúde, brincar é alegria, Deus é alegria.
Orem, orem bastante, orar é ter fé e a fé é o bálsamo da vida.
Não odeiem, perdoem sempre aquele que julga ser vosso inimigo.
Às vezes, esses pensamentos de inimizade, estão em vossas cabeças, às vezes, um contato maior, a convivência, o desabafo, conhecerão mais as pessoas e lhe dirão:
"Meu Deus, como eu julguei mal, não era o que pensei, pensei ser uma coisa e era outra..."
Por isso, procurem dialogar com alguém que julga ser seu inimigo, talvez daí, venha a surgir uma amizade muito grande.
Peço mesmo a todos esses filhos, não guardem rancor de ninguém, só assim Deus estará em vossos corações e é o que todos nós queremos, paz, bondade, alegria, saúde.

Frase do dia...

quarta-feira, janeiro 13, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
"A mais alta forma de liberdade traz consigo a maior medida de disciplina e humildade."

EVANGELHOS APÓCRIFOS

terça-feira, janeiro 12, 2010 Posted In Edit This 0 Comments »
Provavelmente você já ouviu falar nos “Evangelhos Apócrifos”. Mas que significado tem a palavra “apócrifo”? Apócrifos são chamados os livros que apesar de atribuídos a um autor sagrado, não são aceitos como canônicos. E qual o exato significado da palavra “canônico”? A palavra deriva de “Cânon”, que é o catálogo de Livros Sagrados admitidos pela Igreja Católica.

Imagens: Manuscritos Nag Hammadi

Sendo assim, que critério a Igreja Católica se utilizou para decidir se um livro, supostamente escrito por um autor sagrado, tem caráter apócrifo ou canônico?

Quando exploramos o assunto, vemos que a “escolha” é feita pela fé, para não dizer conveniência. Os Livros Canônicos são os livros escritos por inspiração Divina. Mas de que forma podem saber quais foram e quais não foram inspirados por Deus?

O que é ainda mais interessante neste assunto é que a própria Igreja reconhece que boa parte desses Evangelhos Apócrifos foram elaborados por autores sagrados. Por que então não são incluídos na “categoria” bíblica? E o que é mais estranho, por que foram perseguidos e condenados durante séculos?

Com o passar dos séculos, o termo Apócrifo foi ganhando outros significados. Na antiguidade, designava obras de uso exclusivo de seitas ou escolhas iniciáticas de mistério. Mais tarde adquiriu o significado de livro de origem duvidosa, ou, segundo o Médio Dicionário Aurélio: “Diz-se obra ou fato sem autenticidade, ou cuja autenticidade não se provou.”

É certo que deve ser muito difícil para a Igreja separar os textos que relatam os fatos da Vida e Obra do Mestre Jesus dos que contam histórias sem autenticidade. Porém, a própria Instituição reconhece hoje em dia o valor de algumas destas obras, ou Evangelhos Apócrifos, os quais nos contam algumas passagens da Natividade, Infância e pregação do Avatar e sua progenitora.

Hoje, a Igreja Católica reconhece como parte da tradição, os Evangelhos Apócrifos de Tiago, Matheus, O Livro sobre a Natividade de Maria, o Evangelho de Pedro e o Armênio e Árabe da Infância de Jesus, além dos evangelhistas “aceitos”.

A maior parte destes textos apareceu nos séculos II e IV e atualmente são considerados “apócrifos”. Na realidade, a única diferença entre eles e os quatro Evangelhos Canônicos resume-se ao fato de que “não foram inspirados por Deus”.

Estes Evangelhos considerados apócrifos foram publicados ao mesmo tempo que os que passam por canônicos, foram recebidos com igual respeito e idêntica confiança e, ainda, sendo citados preferencialmente nos primeiros séculos. Logo, o mesmo motivo que pesa em favor da autenticidade de uns, pesa também a favor de outros. No entanto, somente quatro são aceitos “oficialmente”. De onde os homens buscaram a prova de que estes últimos foram “divinamente inspirados”?

A admissão exclusiva dos quatro Evangelhos hoje aceitos se deu no século IV, no ano de 325 d.C., por ocasião do Concílio de Nicéia e depois referenciado em 363 d.C., no de Laodicéia, como nos é contado por Hollbach, no prólogo de sua ”História Crítica de Jesus Cristo”. No entanto, Irineu, que morrera mais ou menos no ano 200, já expressava sua preferência pelos quatro Evangelhos hoje aceitos como canônicos:

“O Evangelho é a coluna da Igreja, a Igreja extende-se pelo mundo todo, o mundo tem quatro regiôes e, portanto, convém que existam quatro Evangelhos...”

e mais:

“O Evangelho é o sopro ou vento divino da Vida para os homens e, como temos quatro ventos cardeais, necessitamos de quatro Evangelhos...”

e ainda:

“O Verbo criador do Universo reina e brilha sobre os querubins, os querubins tem quatro formas, e por isso o Verbo nos obsequiou com quatro Evangelhos...”

É com base nisso, que a Santíssima Igreja escolheu e separou os quatro Evangelhos hoje aceitos como divinamente inspirados, dos apócrifos?

Devemos lembrar que como Instituição, a Igreja tem seus erros e acertos pois apesar de ter os olhos do Senhor, é controlado por humanos. Portanto não nos esqueçamos que os Evangelhos Apócrifos, ou não aceitos, assim foram rotulados por humanos como nós, que enquanto nessa condição, incorrem em erros, ou os padres e bispos estão livres de erros?

FRAGMENTO DO EVANGELHO SEGUNDO MARIA MADALENA

terça-feira, janeiro 12, 2010 Posted In Edit This 0 Comments »

APRESENTAÇÃO
Apresentamos, numa versão modernizada, textos considerados apócrifos e que trazem importantes informações a respeito da vida de Cristo, preenchendo lacunas até então criadas pelos Evangelhos constantes da Bíblia.
Este Evangelho foi escrito provavelmente no século II. Foi através de um fragmento copta, que ele chegou até nós. O destaque fica para a estranha parábola que Jesus conta para Maria Madalena. Esta passagem ocorreu após sua crucificação.



FRAGMENTO DO EVANGELHO SEGUNDO MARIA MADALENA

Salvador disse: “Todas as espécies, todas as formações, todas as criaturas estão unidas, elas dependem umas das outras, e se separarão novamente em sua própria origem. Pois a essência da matéria somente se separará de novo em sua própria essência. Quem tem ouvidos para ouvir que ouça”.

Pedro lhe disse: “Já que nos explicaste tudo, dize-nos isso também: o que é o pecado do mundo?” Jesus disse: “Não há pecado ; sois vós que os criais, quando fazeis coisas da mesma espécie que o adultério, que é chamado ‘pecado’. Por isso Deus Pai veio para o meio de vós, para a essência de cada espécie, para conduzi-la a sua origem.”

Em seguida disse: “Por isso adoeceis e morreis [...]. Aquele que compreende minhas palavras, que as coloque-as em prática. A matéria produziu uma paixão sem igual, que se originou de algo contrário à Natureza Divina. A partir daí, todo o corpo se desequilibra. Essa é a razão por que vos digo: tende coragem, e se estiverdes desanimados, procurais força das diferentes manifestações da natureza. Quem tem ouvidos para ouvir que ouça.”

Quando o Filho de Deus assim falou, saudou a todos dizendo: “A Paz esteja convosco. Recebei minha paz. Tomai cuidado para ninguém vos afaste do caminho, dizendo: ‘Por aqui’ ou ‘Por lá’, Pois o Filho do Homem está dentro de vós. Segui-o. Quem o procurar, o encontrará. Prossegui agora, então, pregai o Evangelho do Reino. Não estabeleçais outras regras, além das que vos mostrei, e não instituais como legislador, senão sereis cerceados por elas”.Após dizer tudo isto partiu.

Mas eles estavam profundamente tristes. E falavam: “Como vamos pregar aos gentios o Evangelho ao Reino do Filho do Homem? Se eles não o procuraram, vão poupar a nós?” Maria Madalena se levantou, cumprimentou a todos e disse a seus irmãos: “Não vos lamentais nem sofrais, nem hesiteis, pois sua graça estará inteiramente convosco e vos protegerá. Antes, louvemos sua grandeza, pois Ele nos preparou e nos fez homens”. Após Maria ter dito isso, eles entregaram seus corações a Deus e começaram a conversar sobre as palavras do Salvador.

Pedro disse a Maria:”Irmã, sabemos que o Salvador te amava mais do que qualquer outra mulher. Conta-nos as palavras do Salvador, as de que te lembras, aquelas que só tu sabes e nós nem ouvimos.”

Maria Madalena respondeu dizendo: ” Esclarecerei a vós o que está oculto”. E ela começou a falar essas palavras: “Eu”, disse ela, “eu tive uma visão do Senhor e contei a Ele: ‘Mestre, apareceste-me hoje numa visão’. Ele respondeu e me disse: ‘Bem aventurada sejas, por não teres fraquejado ao me ver. Pois, onde está a mente há um tesouro’. Eu lhe disse: ‘Mestre, aquele que tem uma visão vê com a alma ou como espírito?’ Jesus respondeu e disse: “Não vê nem com a alma nem com o espírito, mas com a consciência, que está entre ambos – assim é que tem a visão [...]“.

E o desejo disse à alma: ‘Não te vi descer, mas agora te vejo subir. Por que falas mentira, já que pertences a mim?’ A alma respondeu e disse:’Eu te vi. Não me viste, nem me reconheceste. Usaste-me como acessório e não me reconheceste.’ Depois de dizer isso, a alma foi embora, exultante de alegria. “De novo alcançou a terceira potência , chamada ignorância. A potência, inquiriu a alma dizendo: ‘Onde vais? Estás aprisionada à maldade. Estás aprisionada, não julgues!’ E a alma disse: ‘ Por que me julgaste apesar de eu não haver julgado? Eu estava aprisionada; no entanto, não aprisionei. Não fui reconhecida que o Todo se está desfazendo, tanto as coisas terrenas quanto as celestiais.’ “Quando a alma venceu a terceira potência, subiu e viu a quarta potência, que assumiu sete formas. A primeira forma, trevas,; a segunda , desejo; a terceira, ignorância,; a quarta, é a comoção da morte; a quinta, é o reino da carne; a sexta, é a vã sabedoria da carne; a sétima, a sabedoria irada. Essas são as sete potências da ira. Elas perguntaram à alma: ´De onde vens, devoradoras de homens, ou onde vais, conquistadora do espaço?’ A alma respondeu dizendo: ‘ O que me subjugava foi eliminado e o que me fazia voltar foi derrotado…, e meu desejo foi consumido e a ignorância morreu. Num mundo fui libertada de outro mundo; num tipo fui libertada de um tipo celestial e também dos grilhões do esquecimento, que são transitórios. Daqui em diante, alcançarei em silêncio o final do tempo propício, do reino eterno’.”

Depois de ter dito isso, Maria Madalena se calou, pois até aqui o Salvador lhe tinha falado. Mas André respondeu e disse aos irmãos:”Dizei o que tendes para dizer sobre o que ela falou. Eu, de minha parte, não acredito que o Salvador tenha dito isso. Pois esses ensinamentos carregam idéias estranhas”. Pedro respondeu e falou sobre as mesmas coisas. Ele os inquiriu sobre o Salvador:”Será que ele realmente conversou em particular com uma mulher e não abertamente conosco? Devemos mudar de opinião e ouvirmos ela? Ele a preferiu a nós?” Então Maria Madalena se lamentou e disse a Pedro: “Pedro, meu irmão, o que estás pensando? Achas que inventei tudo isso no mau coração ou que estou mentindo sobre o Salvador?” Levi respondeu a Pedro: “Pedro, sempre fostes exaltado. Agora te vejo competindo com uma mulher como adversário. Mas, se o Salvador a fez merecedora, quem és tu para rejeitá-la? Certamente o Salvador a conhece bem. Daí a ter amado mais do que a nós. É antes, o caso de nos envergonharmos e assumirmos o homem perfeito e nos separaremos, como Ele nos mandou, e pregarmos o Evangelho, não criando nenhuma regra ou lei, além das que o Salvador nos legou.”

Depois que Levi disse essas palavras, eles começaram a sair para anunciar e pregar.

Frase do dia...

terça-feira, janeiro 12, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
"Colha o dia que se inicia como quem colhe uma flor que nunca mais se repetirá."

A luz do amanhecer

segunda-feira, janeiro 11, 2010 Posted In Edit This 0 Comments »

Era um simples começo, um belo amanhecer, o amanhecer em meu coração,
Depois de toda a tempestade o sol volta novamente aos meus olhos com seu brilho maior,
O sol volta para mostrar a luminosidade das manhãs,
Esta luz radiante que me faz ver o que até então estava escondido,
As trevas estavam a minha volta,
Talvez o que realmente se passava é que eu não queria acreditar, acreditar no acontecido, na perda, no recomeço, desta vez sozinha, ou não, será que estava sozinha?
Pensei estar, mas descobri que uma mão segurava forte na minha mão e me fazia levantar, quando dali sai, abrindo os olhos compreendi o verdadeiro sentido da minha estada aqui.
Descubro agora que sou feliz, sou feliz pelo que sou, pelo que fui, pelo que serei.
Sou feliz pelo Pai amoroso que tenho, pela proteção, pelo ensinamento, pelo caminho.
Sou feliz por compreender os verdadeiros motivos de nossa estada terrena.
Simplesmente agora sou feliz.


Denize Molarinho

Um Deus

segunda-feira, janeiro 11, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »


Milhões de estrelas colocadas nos céus… por um Deus.
Milhões de nós levantamos nossos olhos a um Deus.
Muitas crianças O chamam por muitos nomes diferentes…
Um Pai, que ama a cada um por igual.

Muitas formas diferentes que oramos a um Deus.
Muitas são as trilhas que se juntam no caminho a um Deus.
Irmãos e irmãs – nenhum é estranho depois que Deus terminou Sua criação.
Porque seu Deus e meu Deus é um Deus.
* * *
Os versos são a tradução livre de uma canção interpretada pela cantora Barbra Streisand.
É interessante se observar como tantos cantores, no mundo, têm se referido a Deus, ao Criador. São criaturas que, na Terra, interpretam as vozes dos céus, conclamando os homens à fraternidade.
Em verdade, muitos dos que se dizem religiosos se enclausuram em suas crenças e excluem do amor de Deus os demais seres humanos.
E, contudo, só há um Deus. Um Deus que a todos criou, que a todos ama, não importando a forma com que seja ou não reverenciado.
Um Deus que sabe que cada filho Seu se encontra em estágio evolutivo diverso e, por isso mesmo, tem diferente entendimento a respeito do Seu Criador.
Somos nós, os seres pequenos da Criação que nos arvoramos em grandezas e criamos exclusividades, elegemos preconceitos e fazemos seleções de quem deve ou não ser credor das heranças do Universo.
Somos nós, os homens, que nos separamos em religiões, quando elas deveriam, em verdade, nos unir.
Porque, afinal, todos aspiramos pela felicidade. Todos desejamos nos alçar ao Pai, ao Criador. Todos almejamos um lugar de paz e de amor. Um aconchego. Um paraíso.
E as religiões existem para exatamente nos mostrar o caminho para tal ventura.
Deus é um só. Criador do Universo que descobrimos, a pouco e pouco, extasiando-nos. É o Pai dos seres que criou à Sua imagem e semelhança.
* * *
O seu Deus e o meu Deus é um só Deus.
Tenhamos isso em mente. E nos amemos, auxiliando-nos mutuamente.
Façamos a listagem das maravilhas do Universo e nos sintamos felizes em saber que tudo isso é compartilhado com todos os filhos de Deus.
Filhos desta Terra, do nosso Sistema Solar, filhos que vivam em dimensões nem imaginadas por nós, nem alcançadas pela nossa ciência – todos são herdeiros das grandezas da Criação.
Um Deus. Amor, justiça e luz.
Um Deus. Pai benevolente, pródigo de bênçãos.
Um Deus que nos aguarda, no lar celeste.
Um Deus que nos observa as lutas, perdoa nossas quedas e aguarda que cresçamos até alcançá-Lo.


Redação do Momento Espírita com citação de versos da
canção One God, interpretada por Barbra Streisand.

O Ódio

segunda-feira, janeiro 11, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
O pai da psicanálise, Sigmund Freud, estabeleceu que nós carregamos, por dentro d'alma, duas pulsões importantíssimas. Ele chamou de impulso de vida e impulso de morte.
O impulso de vida, que ele chamou de impulso de Eros, é aquele em que trabalhamos tudo que é bom, tudo que é para cima, tudo que é pró-vida, alegria, o trabalho, o entusiasmo, a amizade, a família. Tudo isso que faz a vida crescer, é chamado por Freud, impulso de vida.
Mas ele também chamou de impulso de morte aquelas pulsões em que nós apelamos para o desânimo, para a depressão, para o desalento, para a inimizade, para a calúnia. Tudo aquilo que faz a vida cair, tudo aquilo que faz a vida depreciada.
Dentro desse impulso de morte, que um de seus discípulos chamou de impulso tanatológico, nós encontramos o ódio.
O ódio é dessas forças terríveis que vão maculando a criatura, que vão destruindo o indivíduo e certamente infelicitando-o.
O ódio tem mil efeitos, cada um deles pior que o outro.
Quando pensamos nos efeitos do vago-simpático que o ódio provoca, a acidez, a diarréia, o desânimo; quando imaginamos a hipertensão, quando pensamos na depressão, na inapetência, todos esses elementos são provocados pelo ódio.
É uma força destrutiva por excelência, e quando começa, como uma caudal, ela não se detém. Essa força não pára se o detentor do ódio, aquele que está alimentando o ódio, não cair numa realidade expressivamente positiva de que essa força ou essa energia negativa que ele impulsiona, que ele conduz, não tiver termo.
É preciso então que pensemos que o ódio, antes de destruir a qualquer pessoa, de ser dirigido a qualquer coisa, ele primeiramente tenta e consegue desarticular o seu portador.
Portar o ódio é como carregar lixo na alma. Por isso, vale a pena pensar que essa força descontrolada, descompensada, essa força desnorteada em que o ódio se traduz, serve apenas para nos fazer morrer sempre um pouco mais.
Vale a pena pensar no que é que faz com que esse ódio apareça na nossa vida.
Afirmam os seres que guiam a Humanidade, que o ódio é o amor que enlouqueceu. Sim, o ódio é o amor que adoeceu, porque a mesma energia que nós usávamos para construir, agora utilizamos para destruir. A mesma criatura sobre quem dirigíamos o olhar de ternura, agora dirigimos um olhar furioso, um espectro furibundo que parte de nossa intimidade na direção do opositor.
Vale a pena pensar que não tem sentido, depois de dois milênios da visita de Jesus a Terra e que nos propôs amar os próprios inimigos, orar por aqueles que nos perseguem e caluniam, não há sentido alimentar a força fragmentária do ódio que só faz mal a nós.
Por momento, poderemos prejudicar a alguém, causar infelicidade a alguém, entristecer alguém, através da calúnia, da maledicência ou de qualquer outra providência nefasta.
Mas, fundamentalmente, no fundo do vaso de nossa alma, ficam as borras criadas pelo ódio.
***

* * *
O ódio em si mesmo provoca apenas sofrimento. Toda pessoa que odeia é uma pessoa que sofre.
Impossível se imaginar que alguém capaz de odiar possa ser feliz.
É claro que as pessoas interpretam, encenam e muitas vezes não sabem que os problemas que passam a viver em suas vidas, estão atrelados a essa carga de ódio que desferem contra terceiros.
É muito comum que os indivíduos tenham ódio em função de variadas circunstâncias.
São muitos os fenômenos do cotidiano que incitam o indivíduo a sentir ódio, a sentir essa expressão negativa do caráter, que é eminentemente destrutiva.
Uma das faces do ódio, já que ele tem diversificadas faces, é o desprezo.
Quando sentimos desprezo por alguém ou por alguma coisa, a alma age como se esse alguém ou se essa coisa não existissem.
Como o odiento imagina que essa criatura seja-lhe inferior, não merece o seu olhar, não merece a sua atenção, não merece que ela lhe dirija a palavra, vai cortando, vai bloqueando todas as ações de contato, todos os movimentos de acesso. E isso vai caracterizando o desprezo. Deixar de prezar alguma coisa, deixar de considerar alguma coisa.
E quando nós desprezamos alguém, em realidade, estamos muito infelizes. Porque tudo quanto gostaríamos, lá no fundo do ser, era a possibilidade de ser amigo de todo mundo, de receber o aplauso de todo mundo, de ser gostado pelas pessoas, de ter acesso fácil em todo lugar, de onde chegarmos as pessoas nos tratarem com alegria, com entusiasmo, com amizade.
Mas quando desprezamos, nos isolamos, nos fechamos, nos entrincheiramos e gradualmente vamos sentindo que as outras pessoas odiadas por nós, desprezadas por nós, continuam vivendo. E, para o indivíduo que odeia, isso é terrível.
Toda criatura que odeia gostaria que o objeto de seu ódio fosse infeliz, se tornasse infeliz. Que pudesse uma hora dele precisar, e ele poder descarregar toda a carga do seu desprezo.
Felizmente, isso não ocorre. As pessoas odiadas continuam vivendo suas vidas, porque elas só têm responsabilidades para com Deus.
Daí então, o desprezo desqualifica o odiento, atormenta-o cada vez mais e aumenta a sua infelicidade. E o odiento sofre.
Mas, uma outra faceta do ódio, tanto ou mais terrível quanto o desprezo, é o desejo de vingança. Sim, o odiento não se conforma em apenas desprezar. Deseja, em muitos momentos, fazer justiça com as próprias mãos.
Fulano me fez isso, há de pagar!
Se existe um Deus no céu, Fulano há de pagar o que me fez!
Então nós misturamos o nosso ódio com a idéia de Deus. Como se Deus estivesse ao lado de nosso desequilíbrio. Como se Deus estivesse aplaudindo nosso desregramento moral e por isto nós dizemos:
Eu não me vingo, mas Deus me vingará!
Quer dizer, se nós não nos vingamos, é porque já entendemos que isso não se faz, mas Deus, Ele que é o Autor do Universo, a Inteligência Suprema da vida, Ele se vingará em nosso nome.
Vejamos que isso não passa de uma brutal infantilidade. Nós somos ainda criaturas muito infantis em termos espirituais e imaginamos que o nosso impulso de vindita, de vingança, vai nos fazer mais felizes.
A vingança chega a termos inimagináveis. Desde a calúnia movida pela maledicência, em que nós jogamos pessoas contra outras pessoas, destilamos o veneno contra os outros, até o homicídio, até o suicídio.
Sim, Freud estabelece que todas as pessoas que se matam são capazes de matar.
Muita gente se mata na impossibilidade de matar o objeto de seu ódio. E se mata para culpar o outro, para culpar a sociedade.
Alguns têm o desplante de deixar cartas, bilhetes, incriminando terceiras criaturas, por conta do seu suicídio.
Vemos que na hora final, quando ela se desbraga e sai do corpo, mesmo assim, o impulso negativo da alma infantilizada, do espírito infeliz, ainda se mostra forte.
Desse modo, a melhor forma de evitarmos essa onda de ódio que nos avassala é o amor. O amor que começa pela compreensão, a indulgência.
Por que as pessoas erraram contra mim?
Porventura, não terei eu dado motivos independentemente do que aquele aborrecimento nos causou?
Será válido pensar nas razões que levaram alguém a falar contra mim, a falar de mim.
É importantíssimo deixar que o amor tome conta de nós, que o amor luarize nossas consciências, e como o ódio é o amor que enlouqueceu, vale a pena vacinar sempre o amor com esse remédio do trabalho, do relacionamento feliz, para que ele nunca adoeça, com esse remédio da confiança, do trabalho conjunto, da autodoação para que o amor nunca adoeça, sempre admitindo que as pessoas têm direito de se equivocar como nós.
E, por causa disso, ao invés de ódio, vale a pena o amor, até porque, segundo o Evangelista, Deus é amor.


Transcrição do Programa Vida e Valores, de número 108, apresentado por Raul Teixeira, sob coordenação da Federação Espírita do Paraná.
Programa gravado em agosto de 2007.
Exibido pela NET, Canal 20, Curitiba, no dia 22 de junho de 2008.

Meu Melhor Amigo

segunda-feira, janeiro 11, 2010 Posted In , , , Edit This 0 Comments »


Um menino entra na loja de animais e pergunta o preço dos filhotes à venda. - Entre 30 e 50 dólares, respondeu o donno. O menino puxou uns trocados do bolso e disse: -
Mas, eu só tenho 3 dólares ... - Poderia ver os filhotes?
O dono da loja sorriu e chamou Lady, a mãe dos cachorrinhos, que veio correndo, seguida de cinco bolinhas de pêlo. Um dos cachorrinhos vinha mais atrás, com dificuldade, mancando de forma visível. O menino apontou aquele cachorrinho e perguntou:

- O que é que há com ele?

O dono da loja explicou que o veterinário tinha examinado e descoberto que ele tinha um problema na junta do quadril, mancaria e andaria devagar para sempre. O menino se animou e disse com enorme alegria no olhar:

- Esse é o cachorrinho que eu quero comprar!

O dono da loja respondeu: - Não, você não vai querer comprar esse.. Se quiser realmente ficar com ele, eu lhe dou de presente.

O menino emudeceu e, com os olhos marejados de lágrimas, olhou firme para o dono da loja e falou:

- Eu não quero que você o dê para mim. Aquele cachorrinho vale tanto quanto qualquer um dos outros e eu vou pagar tudo. Na verdade, eu lhe dou 3 dólares agora e 50 centavos por mês, até completar o preço total. Surpreso, o dono da loja contestou:

- Você não pode querer realmente comprarr este cachorrinho. Ele nunca vai poder correr, pular e brincar com você e com os outros cachorrinhos.

O menino ficou muito sério, acocorou-se e levantou lentamente a perna esquerda da calça, deixando à mostra a prótese que usava para andar. Olhou bem para o dono da loja e respondeu:

- Veja, não tenho uma perna ... Eu não corro muito bem e o cachorrinho vai precisar de alguém que entenda isso.

Às vezes, desprezamos as pessoas com que convivemos todos os dias, por causa dos seus "defeitos", quando na verdade somos tão iguais ou pior do que elas. Desconsideramos que essas mesmas pessoas precisam apenas de alguém que as compreendam e as amem; não pelo que elas poderiam fazer,
mas pelo que realmente são.

És feliz, meu jovem?

segunda-feira, janeiro 11, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
És feliz, meu jovem?
Ou lembranças do passado e o medo do futuro perturbam teu precioso sono?
Não deixes que isso te aconteça.
Olha para o teu irmão que passa e sorri. Talvez ele sofra mais que tu.
Levanta a cabeça e caminha confiante, pois, neste mundo, muitos já viveram e certamente 
haverá um lugar para ti.
Conquista-o.
O mundo é dos que lutam, ele precisa de ti.

Mas as tuas armas não ferem, elas apenas te defendem e são muito poderosas - um sorriso e
a confiança em ti mesmo.
Não esfoles teu coração ainda terno. 
Assim não és feliz. Eu sei.
Mas podes conquistar tua felicidade. 
Aproveita tua ânsia de agir e age. Age no teu próprio ambiente, dá algo de ti, dá, pelo menos
o teu sorriso que é calor.
E farás alguém feliz. 
Por esse calor humano é que todos gritam, é que muitos brigam e não sabem o por que.
Quando a chama de um sorriso cria outro,o mundo começará a se aquecer e haverá um lugar
para todos.
Não terás mais angústias.
O teu sono será doce e tranqüilo. 
Lindos sonhos povoarão tua mente e quando acordares poderás realizá-los. 
Verás como a vida é bela.
Então, sorri para ti mesmo.
Já fizeste alguém feliz, e tu também estarás feliz, muito feliz!

Pai Nosso

domingo, janeiro 10, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »
Pai nosso, que estais nos Céus, na luz dos sóis infinitos, pai de todos os aflitos deste mundo de escarcéus. 
Santificado, Senhor! Seja o teu nome sublime, que em todo o Universo exprime concórdia, ternura e amor. 
Venha ao nosso coração o teu reino de bondade, de paz e de caridade na estrada da redenção. 
Cumpra-se o seu mandamento que não vacila nem erra, nos céus, como em toda a Terra de luta e sofrimento. 
Evita-nos todo o mal, dá-nos o pão no caminho, feito na luz, no carinho do pão espiritual. 
Perdoa-nos, meu Senhor, os débitos tenebrosos, de passados escabrosos, de iniqüidade e de dor. 
Auxilia-nos, também, nos sentimentos cristãos a amar nossos irmãos que vivem longe do bem. 
Com pretensão de Jesus, livra a nossa alma do erro, sobre o mundo do desterro, distante da nossa luz. 
Que a nossa ideal igreja seja o altar de caridade, onde se faça a vontade do nosso amor... 
Assim seja

Mocidade

domingo, janeiro 10, 2010 Posted In , Edit This 0 Comments »

Mocidade é força.
Mas, se a força não estiver sob a direção da justiça, pode converter-se em caminho para a loucura.

Mocidade é poder.
Entretanto, se o poder não aceita a orientação do bem, depressa se converte em tirania do mal.

Mocidade é liberdade.
Todavia, se a liberdade foge à disciplina é, invariavelmente, a descida para deplorável situação.


Mocidade é chama.
No entanto, se a chama não sofre o controle do proveito justo, em breve tempo se transformará em incêndio devastador.

Mocidade é carinho.
Mas, se o carinho não possui consciência de responsabilidade, pode ser veneno mortal para o coração.


Mocidade é beleza da forma.
Contudo, se a beleza da forma não se enriquece com aprimoramento interior, não passa de máscara perecível.

Mocidade é amor.
Entretanto, se o amor não se equilibra na sublimação da alma, cedo se transforma em paixão infeliz.


Mocidade é primavera de sonhos.
Todavia, se a primavera de sonhos não se enobrece no trabalho digno, todo o nosso idealismo será simplesmente um campo de flores mortas.

Se fé encontras na hora radiante da juventude, não te esqueças de que o tempo é o nosso julgador implacável.

A plantação de agora será colheita depois.

Nossas esperanças dia a dia se materializam nas obras a que nos destinamos.

A lei será sempre a lei.

Povoam-se e despovoam-se berços e túmulos, para que o Espírito, divino caminheiro, através da mocidade e da velhice do corpo terrestre – desenvolva, em si, as asas que o transportarão a cima da vida eterna.

Assim, pois, se realmente procuras a felicidade incorruptível, confia teu coração e tua mente ao Cristo Renovador, a fim de que, jovem hoje, te faças amanhã, o caráter sem jaça que lhe refletirá no mundo a Divina Vontade.


Emmanuel 
Extraído do Livro "Paz e Libertação" Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

A vaidade

domingo, janeiro 10, 2010 Posted In Edit This 0 Comments »
Era uma vez um Rei muito vaidoso. Esquecia seus súditos, gastando fortunas para satisfazer caprichos pessoais.
Um dia anunciou que doaria generoso prêmio a quem trouxesse, na palma da mão, alguma coisa que representasse o seu poder.

No tempo marcado, apareceram os candidatos.

O primeiro colocando-se diante doRei abriu a mão e ...- oh! - nela estava bela miniatura de uma coroa de ouro, toda cravejada de pedras preciosas.

O Rei fez um muxoxo.

Outro, tomando-lhe a vez, espalmou na destra um trono, esculpido em delicado marfim e terminado em artísticos entalhes.

O Rei sorriu lisonjeado.

Seguiram-se outros candidatos traziam imponentes corcéis; arcas de tesouro com jóias miniaturizadas; mantos esplendorosos. A todos, o Rei após arregalar os olhos, determinava que passassem para o lado.
O último era um jovem.
Modestas roupas não escondiam o seu belo porte. Adiantou-se calmamente abriu diante do Rei a sua palma.

Estava limpa e... vazia!


- como?! - indignou-se o Rei, ao ver que nada havia na mão do jovem -. que significa isto, afinal?!

O jovem sorriu.

- Majestade - disse, fazendo ligeira revêrencia e continuando a mostrar a mão vazia-, toda a autoridade na Terra é uma delegação do Pai celestial e todo poder será sempre retomado um dia. Que poderia melhor representá-lo, perante Deus que é o seu doador? Nada melhor do que a palma da mão imaculada como o era no dia do nascimento.

O Rei ruborizou e baixou a cabeça.

Conta-se que, a partir daquela data, o Rei entrou em meditação e passou a ser menos generoso consigo próprio e mais devotado ao povo que lhe fora confiado no Reino.



                                                                                Roque Jacinto

Se eu morrer antes de você

sábado, janeiro 09, 2010 Posted In Edit This 0 Comments »

Teus Filhos

sábado, janeiro 09, 2010 Edit This 0 Comments »
Teus filhos não são teus filhos... 
São os filhos da ânsia da vida por si mesmas! 
Vêm através de ti... mas não de ti... e embora vivam contigo... não te pertencem! 
Podes outorgar-lhes teu amor... mas não suas almas pois suas almas moram na mansão do amanhã que tu não podes visitar nem mesmo em sonhos... 
Podes esforçar-te para ser como eles... mas não procures fazê-los como tu. 
Porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados. 
Tu és o arco do qual teus filhos são arremessados como flechas vivas.
Que teu encurvamento na mão do arqueiro seja tua alegria!

Confie Sempre

sábado, janeiro 09, 2010 Posted In Edit This 0 Comments »

Tudo Passa

sábado, janeiro 09, 2010 Posted In Edit This 0 Comments »

A lenda das três árvores

sábado, janeiro 09, 2010 Posted In Edit This 0 Comments »
Numa reunião de  Espíritos,  pediram  ao velho Simão 
Abileno  que falasse  sobre  a resposta de  Deus  às
nossas preces.
Ele  então, que  era  mestre   na   arte  de  contar
histórias, repetiu uma antiga lenda,  que faz  parte
dos contos populares de muitos  países,  e  que  diz
assim...

Num  grande   bosque   da   Ásia Menor, três árvores 
ainda jovens pediram a Deus que lhes desse  destinos
importantes e diferentes.
A primeira queria  que  sua  madeira fosse empregada
no trono do mais alto soberano da terra.
Depois de  ouvi-la,  a  segunda pediu para ser usada
na construção do carro que transportaria os tesouros
desse poderoso rei.
E  a  terceira  desejou  ser transformada numa torre,
nos domínios do mesmo rei, para mostrar o caminho do
Céu.
Quando terminaram de dizer suas  preces, Deus enviou
à mata um mensageiro seu, para  que  elas  soubessem  
que seus pedidos seriam atendidos.
Passado  muito   tempo,   quando  elas  já   estavam
crescidas, vieram alguns  lenhadores   e  derrubaram
as  três  árvores, deixando muito tristes as árvores
vizinhas.
Elas foram arrastadas para fora do bosque.
Perderam  seus  galhos, folhas  e  raízes,  mas  não
perderam a fé nas promessas do Criador.
E se deixaram conduzir, com paciência e humildade...
Mas  elas  jamais  podiam  imaginar  o  que  veio  a
acontecer, depois de muitas viagens!
A  primeira árvore caiu nas mãos de  um  criador  de
animais, que mandou transformá-la num  grande  cocho,
para seus carneiros.
A segunda  foi  comprada por um construtor de barcos.
A terceira foi recolhida à cela de uma  prisão, para
ser aproveitada futuramente.
As  três   árvores,  mesmo  separadas  e  em  grande
sofrimento, continuaram acreditando nas palavras  do
mensageiro celeste.
No bosque, porém, as outras  plantas haviam  perdido
a fé no valor das preces.
E elas ficaram surpresas em saber  que, muitos  anos 
mais tarde, as três árvores  foram atendidas em seus
desejos...
A  primeira foi  forrada com panos singelos e serviu
de  berço para Jesus recém-nascido.
A segunda, na forma de uma barca de  pescadores, foi
usada por  Jesus  para  transmitir, sobre  as  águas,
belos ensinamentos.
A terceira árvore, transformada apressadamente  numa 
cruz,  seguiu  junto com o Mestre para o Gólgota.
Ali,  erguida  no   alto   do  monte,   ela  guardou
valentemente o corpo  de Jesus e recebeu seu coração
cheio de amor  pela  humanidade  E assim, indicava o
verdadeiro caminho do Reino de Deus.
Terminada a narrativa, Simão silenciou, comovido.
E depois de uma pausa,com lágrimas  nos  olhos,  ele
concluiu:
- Em    verdade,   meus  amigos,  todos nós  podemos
dirigir a Deus as preces mais diversas.
No  entanto,  todos   precisamos  saber   esperar  e
Compreender as respostas de Deus.